CNA

CNA solicita esclarecimentos sobre o programa de composição de dívidas rurais ao BNDES

Confederação e Andav estiveram reunidas com executivos do banco


- Agência Brasil

A CNA e a Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav) se reuniram com representantes do BNDES, no Rio de Janeiro, para solicitar esclarecimentos sobre a linha de crédito da instituição que permite a renegociação de dívidas rurais e que incorporou as fornecedoras de insumos como beneficiárias dessa linha.

A reunião ocorreu na quinta (5) com o gerente da Área de Operações e Canais Digitais, Rodrigo Hallak, e com o gerente do Departamento de Canais de Distribuição e Parcerias, Romulo Bastos Dias.

O foco da reunião foi o Programa BNDES para Composição de Dívidas Rurais (BNDES Pro-CDD Agro). Esta linha de crédito é repassada pelo BNDES aos bancos para permitir a liquidação de passivos de produtores com as próprias instituições financeiras e fornecedores de insumos.

Nesta reedição do programa, as fornecedoras podem acessar o programa por meio de um pedido dos produtores que estão em dificuldade financeira em honrar seus pagamentos.

"A reunião foi bastante produtiva, pois, além de conseguirmos esclarecer qual será o papel da fornecedora no acesso ao crédito para renegociar as dívidas dos produtores, conseguimos abrir um canal de comunicação mais estreito e efetivo com o BNDES", afirmou o presidente da ANDAV, Henrique Mazotini.

A partir do dia 17 de setembro, o BNDES passará a acatar os pedidos de renegociações das instituições financeiras credenciadas que operacionalizarem a linha. A inclusão das fornecedoras foi uma solicitação de melhoria da CNA feita no ano passado.

Com um ano do programa rodando, no entanto, essa linha foi muito pouco acessada pelos produtores. "Pedimos que sejam revisadas as instituições financeiras credenciadas e, após esse levantamento, publiquem uma lista das que realmente tenham interesse em operacionalizar esse programa, pois temos relatos de produtores que tentaram demandar esta linha de crédito, mas a instituição financeira se negou a fazer", destacou a assessora técnica do Núcleo Econômico da CNA, Carolina Nakamura.

"O importante é que o crédito chegue para o produtor rural", reforçou Nakamura. Com esse mesmo objetivo, os representantes do BNDES se prontificaram em revisar quais são as instituições financeiras que têm interesse em operacionalizar o Programa BNDES Pro-CDD Agro, além de outros ajustes levantados durante a reunião.

SEE ALSO ...